Blog
Cronologia
Questionário
Livro de Visitas
Acerca
Mostrar mensagens com a etiqueta Direitos Humanos. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Direitos Humanos. Mostrar todas as mensagens

Malala Yousafzai

2014
Malala Yousafzai torna-se a mais jovem ganhadora de um Nobel na história, pela sua luta contra a supressão das crianças e jovens e pelo direito de todos à educação. Malala é conhecida principalmente pela defesa dos direitos humanos das mulheres e do acesso à educação na sua região natal do vale do Swat na província de Khyber Pakhtunkhwa, no nordeste do Paquistão, onde os talibãs locais impedem as jovens de frequentar a escola. Desde então, o seu ativismo tornou-se um forte movimento à escala mundial.

John Peters Humphrey

1946
John Peters Humphrey elabora o projecto inicial da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Embora não seja um documento que represente obrigatoriedade legal, serviu como base para os dois tratados de força legal sobre direitos humanos da ONU. Esta declaração continua a ser amplamente citada por académicos, advogados e tribunais constitucionais.

Mahatma Gandhi

1931
Mahatma Gandhi realiza a Marcha do Sal, acto de protesto contra a proibição, imposta pelos britânicos, da extração de sal na Índia colonial. Gandhi empregou o satyagraha na campanha de independência da Índia e também durante a sua permanência na África do Sul. O satyagraha, filosofia defendida por Gandhi, designa o princípio da não-agressão, uma forma não-violenta de protesto, que não deve ser confundida com uma adesão à passividade, é uma forma de ativismo que muitas vezes implica a desobediência civil. Idealizador e fundador do moderno Estado indiano, Gandhi imaginou o satyagraha como não apenas uma tática para ser usado em luta política, mas como um solvente universal de injustiça. Sobre Gandhi, Albert Einstein escreveu que "as gerações por vir terão dificuldade em acreditar que um homem como este realmente existiu e caminhou sobre a Terra."

Kate Sheppard

1887
Kate Sheppard impulsiona a introdução do primeiro projeto de lei do sufrágio feminino. No ano seguinte, Sheppard publicou um panfleto intitulado "Dez razões pelas quais as mulheres da Nova Zelândia Devem votar", defendendo e reforçando a ideia do sufrágio feminino. Com a ajuda do seu movimento, a Nova Zelândia tornou-se o primeiro país do mundo a introduzir o sufrágio universal em 1893. Desde esse ano, o trabalho de Sheppard teve um impacto considerável sobre os movimentos de sufrágio das mulheres em vários outros países.